Usuários devem ficar atentos para o golpe do PIX

A alta procura pelo PIX, novo serviço de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central e que entrou em operação em novembro do ano passado, mobilizou golpistas a usar técnicas antigas de roubo de dados para enganar clientes durante o cadastramento na plataforma.

No final de 2020, a empresa de segurança digital Kaspersky encontrou mais de 60 sites falsos, que usavam as técnicas de “phishing” para o roubo de informações. O termo phishing faz alusão à pescaria, pois golpistas usam o PIX como ‘isca’ para que a vítima entregue seus dados.

Os golpistas aproveitam o momento de cadastramento das Chaves PIX para aplicar golpes. Atualmente, o alerta é para quem receber mensagens ou emails contendo links para desbloquear o crédito feito através do PIX. É importante saber que o PIX não pede debloqueio de pagamento, já que os valores caem direto na conta do destinatário.

Em Vazante, há informações de que algumas pessoas receberam email com a mensagem, mas não há confirmação se alguém foi vítima.

A recomendação do Banco Central é que o usuário sempre realize o cadastramento de chaves e, quaisquer operações com o PIX, por meio das plataformas dos bancos ou financeiras. As instituições financeiras, por sua vez, alertam que nunca pedem senhas ou código de validação de transações (tokens) fora de seus canais digitais.

Golpes podem chegar por SMS, e-mail, WhatsApp ou pelas redes sociais. Ao receber uma mensagem de seu banco ou financeira, o usuário deve ficar atento e se prevenir.

Dicas de prevenção

  • Nunca clique em links antes de fazer uma boa checagem da mensagem;
  • Tenha cuidado extra com links encurtados, verifique os outros itens da mensagem com ainda mais cuidado;
  • Em hipótese alguma forneça senhas ou tokens fora do aplicativo ou site oficial do banco (nem mesmo pelo telefone);
  • Não compartilhe código de verificação, como do WhatsApp, recebido por e-mail ou SMS;
  • Verifique o número de onde foi enviado o SMS – números desconhecidos podem significar golpe;
  • Cheque sempre o remetente do e-mail para verificar se é um endereço válido de seu banco;
  • Nas redes sociais, veja se a conta da instituição financeira é verificada;
  • Desconfie de promoções muito generosas.

Por Anderson Franque com informações BC

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn