Um mês após governo de MG autorizar volta às aulas, veja a situação em cidades do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste

G1 buscou posição sobre retorno das aulas nas redes pública e particular das cidades de Uberlândia, Uberaba, Patos de Minas, Araguari, Ituiutaba e Paracatu.

Um mês após a liberação das aulas presenciais da educação básica pelo Governo de Minas Gerais, a situação em seis das principais cidades do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas está dividida entre definida e indefinida.

G1 entrou em contato com as prefeituras de Uberlândia, Uberaba, Patos de Minas, Araguari, Ituiutaba e Paracatu. Veja o posicionamento de cada município:

Uberlândia – As aulas nas escolas municipais continuam suspensas até o dia 12 de novembro. Essa foi a determinação da mais recente portaria publica pelo Município no dia 13 de outubro. No documento, a Prefeitura diz que o prazo de suspensão poderá ser revisto a qualquer tempo. Essa foi a quinta prorrogação de aulas feita na cidade desde o início da pandemia. A primeira publicação foi em 19 de março, um mês após o início do ano letivo; a segunda no dia 18 de maio que teve validade por dois meses. Em julho, as aulas foram suspensas por mais 60 dias e em setembro por mais um mês. Ao todo, 70 mil estudantes estão matriculados em escolas do município.

Uberaba – De acordo com portaria de 9 de outubro, as aulas já poderiam ter voltado na cidade desde a última segunda-feira (19). A instituição que decida pelo regresso precisará apresentar protocolo em conformidade com o Manual de Biossegurança para avaliação e aprovação por parte do Comitê Técnico-Científico. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, até o momento foram apresentados 17 protocolos (16 de escolas particulares e uma federal). Deste, seis foram aprovados e as escolas estão aptas a retornar, mas até a última atualização dessa reportagem nenhuma deu início às aulas. o G1 pergunto ao Município sobre a situação em específico das escolas municipais, mas não obteve retorno até o fechamento.

Patos de Minas – Segundo o Município, ainda não é possível definir se e quando haverá ensino presencial em 2020. No entanto, a Secretaria Municipal de Educação afirma que está equipando as instituições de ensino para que estejam aptas a receber, com segurança, profissionais e estudantes. Estão sendo confeccionadas máscaras de tecido para alunos e colaboradores e jalecos para todos os profissionais das unidades. Também foram adquiridos termômetros para aferição da temperatura, e está em processo a aquisição de álcool gel, de totem para álcool gel e de tapetes sanitizantes.

Araguari – A Prefeitura publicou na quarta-feira (21) decreto suspendendo as aulas presenciais em toda rede de ensino pública e privada até o dia 31 de dezembro de 2020. A decisão poderá ser revista a cada período de 30 dias ou mesmo antes desse prazo, a depender do cenário epidemiológico na cidade. A publicação autorizou que as escolas da rede privada façam atendimento individual para diagnóstico de desenvolvimento pedagógico do aluno de quatro a sete anos de idade. O início desse tipo de abordagem pedagógica, que deverá ser facultativa e não imposta aos alunos, começará a partir de segunda-feira (26).

Ituiutaba – As aulas nas redes públicas e privadas estão suspensas na cidade até o dia 31 de dezembro.A decisão do Município está em decreto publicado no dia 16 de outubro. A decisão, segundo a Secretaria Municipal de Educação foi tomada após consulta aos servidores e a aprovação de 90% dos pais de alunos.

Paracatu – De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, o retorno das aulas presenciais só ocorrerá em 2021. A decisão ainda aguarda decreto do Executivo, mas já foi comunicada. O ensino remoto segue até o fim do ano e a reposição será feita com carga horária estendida até janeiro de 2021, uma vez que os dias letivos deixaram de ser obrigatórios.

Critérios do Governo de MG

Para retomar as atividades escolares presenciais, o governo estadual estipulou um protocolo. As aulas do ensino superior poderão voltar em cidades de macrorregiões inseridas na Onda Amarela do Minas Consciente, como é o caso das regiões do Triângulo Norte e Triângulo Sul e da Noroeste, que está na Onda Verde.

Já as aulas da educação básica, que abrange o ensino infantil, fundamental e médio, foram autorizadas a retomar a partir do dia 5 de outubro. Neste caso, é necessário que os municípios estejam na Onda Verde do programa estadual.

Apesar da liberação por parte do Estado, caberá aos prefeitos definir se vão ou não retomar as aulas presenciais, ainda que estejam em uma região autorizada pelo governo.

G1

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Fechar Menu