STF mantém ordem de prisão de Eduardo Cunha

Brasília - O deputado Eduardo Cunha durante reunião da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara que tenta votar o parecer do deputado Ronaldo Fonseca sobre o seu pedido para anular a sessão do Conselho de Ética que aprovou a cassação de seu mandato (José Cruz/Agência Brasil)

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou recurso apresentado pela defesa de Eduardo Cunha (MDB-RJ) para revogar uma das ordem de prisão que há contra ele.

O caso diz respeito à participação de Eduardo Cunha em fraudes em empréstimos concedidos pela Caixa Econômica Federal.

A ordem de prisão foi determinada pelo juiz Vallinsey de Souza Oliveira, da 10º Vara Federal de Brasília, em 31 de maio de 2017.

Cunha está preso desde outubro de 2016, por ordem do ex-juiz Sergio Moro, que tocava os processos da Lava-Jato e agora é ministro da Justiça no governo Jair Bolsonaro.

Em 1º de junho de 2018, Vallisney o condenou a 24 anos e dez meses de prisão e determinou a manutenção de sua prisão preventiva.

Segundo a revista Veja, a defesa do emedebista tentou revogar o mandado de prisão no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas sem êxito.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Guarda-Mor registra novos casos da Covid-19

Guarda-Mor teve seu quadro epidemiológico da Covid-19 alterado, conforme o boletim divulgado pela secretaria Municipal de Saúde, nessa quinta-feira (17). Mais dois casos positivos foram

Fechar Menu