STF gasta mais de R$ 800 mil com carros durante a pandemia

Supremo continua pagando por itens como combustível, lavagem e transporte por demanda

Apesar de realizar sessões virtuais desde março, o Supremo Tribunal Federal (STF) mantém os gastos com serviços incluídos no item “veículos”. Os carros de luxo estão estacionados. Contudo, a Corte continua desperdiçando dinheiro público com com a frota.

Desde o início da pandemia no país, o montante de despesas do tipo ultrapassa R$ 800 mil, conforme indicam os dados analisados por Oeste a partir do Portal da Transparência do STF. De março a maio, o Supremo gastou com itens classificados como peças, serviços, combustível, lavagem, rastreamento, condução de veículo e transporte terrestre por demanda.

O último item é a forma como são caracterizados os reembolsos de gastos com táxis e carros de aplicativos como Uber e 99. A soma deu R$ 37.588,19 ao longo dos últimos três meses — valor superado pelas despesas com combustível, R$ 58.396,70. Condução de veículos é o item que mais pesou nas contas: R$ 647.259,42.

Oficialmente, os ministros estão trabalhando de casa, com os julgamentos ocorrendo de modo virtual.

Anderson Scardoelli


Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Fechar Menu