Serviços na 7ª Delegacia de Polícia Civil de Vazante estão limitados em virtude da greve das Forças de Segurança de MG

Foto: Arquivo Montanheza

As forças de segurança de Minas Gerais entraram em greve para pressionar o Governo do Estado a pagar a recomposição salarial para a categoria.

A 7ª Delegacia de Polícia Civil de Vazante aderiu ao movimento grevista seguindo as definições feitas pela Delegacia Regional de Polícia Civil de Paracatu. A adesão ocorreu logo no início. Com isso, estão sendo priorizados os crimes de maior relevância, como os casos de flagrante, e as vistorias de veículos são feitas parcialmente, em meio período.

Nesta quinta-feira (24/02), a 7ª Delegacia de Polícia Civil de Presidente Olegário aderiu ao movimento. Com isso, Lagamar e Lagoa Grande também aderiram ao movimento grevista e realizam a “operação tartaruga”, ou seja, com funcionamento somente dos serviços essenciais. Referente a vistorias de veículos, somente 30% das vistorias agendadas serão realizadas por dia.

A Manifestação envolve também a Polícia Militar de Minas Gerais, com isso, apenas flagrantes e ocorrências de urgência estão tendo andamento. Os agentes de segurança alegam que têm um acordo com o Governo de Minas Gerais para o pagamento da recomposição salarial em três parcelas, mas que apenas uma foi paga ainda no ano de 2019.

Por Anderson Franque / Montanheza FM

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn