Saiba por que epidemia de dengue vai se tornar uma das maiores da década

Mais de 43 mil novos casos prováveis em uma semana, aumento de 19% nas mortes e a aproximação de uma posição nada favorável. A atualização dos registros de dengue em Minas Gerais aponta que este ano, que já tem mais de 209 mil casos prováveis (entre confirmados e suspeitos) e 25 mortes, fatalmente vai superar a epidemia de 2010, que terminou com 212 mil notificações em 12 meses. 

A situação leva 2019 a se consolidar pelo menos na terceira posição entre os anos mais epidêmicos da última década. Dessa forma, 2019 ficaria atrás apenas de 2013 (414 mil casos) e 2016 (519 mil), os anos que registraram as mais graves epidemias em Minas a partir de 2010. Em meio a um quadro em que a Região Metropolitana de BH registra um das situações mais preocupantes do estado, concentrando 12 óbitos confirmados (nove em Betim, o maior número em Minas, dois em Contagem e um em Ibirité), o Exército Brasileiro começou ontem a apoiar a prefeitura da capital no enfrentamento à doença transmitida pelo Aedes aegypti.

Os 209.276 casos prováveis causaram até o momento 25 óbitos no estado, distribuídos, além dos municípios da Grande BH, pelas cidades de Uberlândia, no Triângulo Mineiro (8), Unaí, no Noroeste de Minas (2), Arcos, na Região Centro-Oeste (1), Frutal, no Triângulo (1), e Paracatu, no Noroeste (1). O crescimento em uma semana é de 19% em relação às mortes, que saltaram de 21 para 25, e de 26% nos casos, com mais 43.423 notificações acima do total anterior de 165.853. Os números, porém, se referem à conclusão de exames no período, e não a mortes e diagnósticos necessariamente notificados na última semana. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, outros 82 óbitos notificados ao longo de todo o ano estão sob investigação.

O avanço do vírus transmitido pelo Aedes aegypti neste ano coloca 2019 a apenas 3.226 casos de superar a posição de 2010, em um contexto de unidades de saúde ainda lotadas de pacientes com sintomas, especialmente na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Porém, se por um lado o avanço da dengue aponta como certa a terceira posição em 10 anos, os números de 2013 e 2016 ainda estão bem distantes, o que sinaliza com a manutenção dessas colocações. Na maior epidemia dos últimos 10 anos, Minas Gerais registrou 519.050 casos da doença, com 208 mortes. Os quatro primeiros meses – que já estão com balanços fechados e representam período de chuvas mais intensas, quando é maior a incidência da doença pelo acúmulo de água parada, criadouro do mosquito – tiveram muito mais casos em 2016 do que neste ano.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Fechar Menu