Preso estupra e mata garota após ser solto por decreto do STF em razão de pandemia em Poços de Caldas (MG)

Jenifer Modesto foi morta em 4 de abril em Poços de Caldas (MG). Domingo Espetacular mostra imagens exclusivas de trajeto onde ela foi abordada

Uma jovem de 18 anos foi estuprada e assassinada por um preso menos de 24 horas após ele deixar a prisão, segundo a polícia, liberado por conta da pandemia de covid-19.

Jenifer Hugo Modesto desapareceu em Poços de Caldas (MG), onde morava, no dia 4 de abril. De acordo com a polícia, ela percorreu a pé um trecho ermo entre o terminal de ônibus e a casa dela, sendo abordada no caminho por Éder Abrão Filadélfia, que havia sido solto no dia 3. Imagens exclusivas obtidas pelo Domingo Espetacular mostram o trajeto percorrido por Jenifer.

Segundo a polícia, ele só foi preso dias depois, após tentar cometer outro estupro. Ele confessou ter assassinado a garota e indicou onde estava o corpo.

Éder Abrão é condenado por estupro e cumpria pena em presídio a 80 km de Poços de Caldas. Foi liberado por ter hipertensão, o que coloca em grupo de risco da covid-19.

O avanço do novo coronavírus dentro dos presídios brasileiros permitiu a mais de 30 mil condenados cumprir pena em casa durante a pandemia. A recomendação do Conselho Nacional de Justiça é pra liberar apenas quem está em grupos de risco e não cometeu crimes graves.

Para o promotor Rogério José Filócomo Júnior, a ideia de que o “criminoso vai ficar em casa beira uma certa inocência”. “Quem opera no direito, não pode ser inocente a esse ponto”, afirma.

Pessoa “amável”

A cunhada de Jenifer, Tainá dos Reis, conta que a garota era “uma menina extremamente tranquila, não dava trabalho nenhum, começando a vida dela agora. Não consigo acreditar”, afirma.

O namorado Emanuel Peres afirma que ela “era sorridente, amigável, amável, tinha respeito por todo mundo”, conta.

R7

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Fechar Menu