Morte por dengue é investigada em Uberaba; veja situação de outras cidades do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste

O boletim epidemiológico Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais divulgado nesta segunda-feira (17) também aponta novos casos de dengue grave e com sinal de alarme.

Uma morte por dengue está em investigação em Uberaba, conforme Boletim Epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (17), pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Ainda de acordo com os dados, o número de casos com sinais de alarme ou grave também cresceu na região do Triângulo Mineiro.

Agora agora, as regiões do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas contabilizam em 2020, 11 casos confirmados da doença com sinal de alarme, três registros de dengue grave e dois óbitos em investigação. Já o número de casos prováveis de dengue também aumentou nas principais cidades desta três regiões.

Casos

Neste boletim, dois novos casos com sinais de alarme foram registrados em Limeira do Oeste, e mais três novas ocorrências foram apontadas em Uberlândia. Um caso grave foi anotado em Monte Alegre de Minas; e Iturama e Tupaciguara também têm um registro, cada uma. Também segundo os dados, agora, além de um óbito que segue em investigação em Iturama, aparece esta morte investigada em Uberaba.

Em nota ao G1, a Prefeitura de Uberaba informou que aguarda o resultado das análises da Secretaria de Estado de Saúde. O G1 também entrou em contato com os outros municípios citados e até a publicação desta reportagem não houve retorno.

Em 2020, nenhuma morte por dengue foi confirmada no Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de MG.

Incidência

Monte Alegre de Minas é a única cidade do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas com incidência muito alta da doença, em 2020.

Carneirinho, Delta, Pirajuba e Planura registram incidência alta de dengue. Já Uberaba, Ituiutaba, Patos de Minas, Frutal, Iturama, Centralina, Coromandel, Fronteira, Conquista, Iraí de Minas, Limeira do Oeste, Gurinhatã, Veríssimo, Ipiaçu e Grupiara estão com incidência média.

As demais cidades do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste têm incidência silenciosa ou baixa, segundo o boletim da SES-MG.

Situação das principais cidades

Uberlândia
Além do aumento no número de casos com sinais de alerta, quatro na semana passada e sete divulgados nesta segunda-feira (17), Uberlândia é a cidade com maior número de casos prováveis de dengue entre as três regiões citadas. São 429 no total, sendo 82 novos casos, já que noúltimo boletim o município estava com 347 casos da doença. Apesar disso, a incidência ainda é considerada baixa.

Uberaba
Já Uberaba, com 397 casos prováveis, tem a segunda maior quantidade das áreas. São 110 novos casos no município, que apresentava 287 casos no último boletim divulgado. A incidência na cidade passou de baixa para média.

Ituiutaba
Ituiutaba ultrapassou Patos de Minas e agora é a terceira com maior número de casos prováveis da doença entre as regiões: 237. São 94 novos registros, já que a cidade tinha 143 casos na última semana. A incidência da doença permaneceu média.

Patos de Minas
Patos de Minas agora tem o quarto maior número de casos, com 194. São 30 casos novos em relação ao último boletim, quando Patos de Minas registrou 164 ocorrências. A incidência de dengue no município permaneceu média.

Araxá
Em Araxá, no Alto Paranaíba, há 28 casos prováveis de dengue, oito a mais em relação à última semana. A cidade está com incidência baixa da doença.

Paracatu
O município do Noroeste de Minas registou 42 casos prováveis de dengue e a incidência continua baixa. Na última semana, a cidade tinha 34 registros.

Minas Gerais

Até o momento, os dados da SES-MG indicam que Minas Gerais tem 13.178 casos prováveis de dengue em 2020.

No estado, neste ano, há 10 óbitos por dengue em investigação: um em Iturama e um em Uberaba, no Triângulo Mineiro; um em Belo Horizonte; um em Betim, na região metropolitana de BH; um em Além Paraíba, na Zona da Mata; um em Joaíma, no Vale do Jequitinhonha; um em Medina, também no Vale do Jequitinhonha; um em Taparuba, no Vale do Rio Doce; um em Bom Despacho e um em Campo Belo; no Centro-Oeste. Nenhuma morte foi registrada neste ano em MG.

Dengue: classificação para sinais de alarme

De acordo com a SES-MG, é classificado como dengue com sinais de alarme todo caso de dengue que, no período após a febre, apresenta um ou mais sinais de alarme, que são dor abdominal intensa e contínua, ou dor a palpação do abdômen; vômitos persistentes; acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, pericárdico); sangramento de mucosas; letargia ou irritabilidade; hipotensão postural (lipotímia); hepatomegalia maior do que 2 cm; e aumento progressivo do hematócrito.

Chikungunya

Sobre a Febre Chikungunya, foram registrados no estado 287 casos prováveis de chikungunya em 2020, sendo quatro em gestantes. Nas regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba são 14 casos prováveis da doença em 2020. São três em Araguari, três em Uberaba, e dois em Patos de Minas. Campos Altos, Coromandel, Frutal, Iraí de Minas, Tupaciguara e Uberlândia tem um caso provável cada uma.

No ano passado, 2.776 casos prováveis de chikungunya foram registrados e houve um óbito pela doença em Patos de Minas.

Zika

Com relação à Zika, neste ano, foram registrados 98 casos, sendo 16 em gestantes. Em 2019, foram 698 casos prováveis, sendo 158 em gestantes.

E nas regiões Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba já há casos prováveis da doença em 2020. São oito casos em Ituiutaba, cinco em Uberlândia, cinco em Frutal, três em Uberaba e um em Araxá.

G1

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Fechar Menu