Minas Consciente: macrorregiões Triângulo do Norte e do Sul e Noroeste permanecem na Onda Verde na última atualização de 2021

Decisão do Comitê Extraordinário Covid-19 foi divulgada nesta quinta-feira (30). A partir de 2022, grupo passa a se reunir mensalmente.

As macrorregiões Triângulo do Norte e do Sul e Noroeste fecharam a última atualização de 2021 do programa “Minas Consciente” na Onda Verde. A decisão ocorreu nesta quinta-feira (30) após reunião do Comitê Extraordinário Covid-19. A partir do próximo ano, os encontros do grupo passam a ser mensais, mas o acompanhamento da situação da pandemia continua diário.

Durante a reunião, o secretário de Estado de Saúde (SES-MG), o médico Fábio Baccheretti, afirmou que Minas Gerais registrou 130 casos da nova variante Ômicron. Entretanto, afirmou que o vírus que mais circula no estado atualmente é o da Influenza A H3N2.

“Não existe um surto de gripe em Minas Gerais, uma vez que 85% do público-alvo foi vacinado. Acreditamos que este cenário deve mudar com a maior circulação da Ômicron”, explicou.

Fábio ainda ponderou que não é momento para relaxamento. “A população deve continuar usando máscaras, evitar aglomerações e realizar a higienização das mãos corretamente”, alertou.

Nos últimos 14 dias, a taxa de incidência da Covid-19 caiu 4%. Apesar disso, se for considerar a última semana, o índice subiu 40%. Já as solicitações por internação tiveram redução de 15%.

Macrorregiões

Minas Gerais segue todo na Onda Verde do Minas Consciente. — Foto: Governo de MG/Divulgação

Minas Gerais segue todo na Onda Verde do Minas Consciente. — Foto: Governo de MG/Divulgação

Veja abaixo as cidades do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste, que são da área de cobertura da TV Integração, e cada macrorregião que fazem parte:

Fazem parte do Triângulo do Norte os municípios de: Abadia dos Dourados; Araguari; Araporã; Cachoeira Dourada; Campina Verde; Canápolis; Capinópolis; Cascalho Rico; Centralina; Coromandel; Douradoquara; Estrela do Sul; Grupiara; Gurinhatã; Indianópolis; Ipiaçu; Iraí de Minas; Ituiutaba; Monte Alegre de Minas; Monte Carmelo; Nova Ponte; Patrocínio; Prata; Romaria; Santa Vitória; Tupaciguara. Uberlândia também faz parte da região, mas tem plano próprio de retomada da economia.

Fazem parte do Triângulo do Sul os municípios de: Campina Verde, Carneirinho, Comendador Gomes, Fronteira, Frutal, Itapagipe, Iturama, Limeira do Oeste, Pirajuba, Planura, São Francisco de Sales, União de Minas, Água Comprida, Campo Florido, Conceição das Alagoas, Conquista, Delta, Uberaba, Veríssimo, Araxá, Campos Altos, Ibiá, Nova Ponte, Pedrinópolis, Perdizes, Pratinha, Sacramento, Santa Juliana e Tapira. Uberaba também está nesta região, mas segue plano próprio.

Já na macrorregião Noroeste fazem parte os municípios de: Arapuá, Carmo do Paranaíba, Cruzeiro da Fortaleza, Guarda-Mor, Guimarânia, João Pinheiro, Lagamar, Lagoa Formosa, Lagoa Grande, Matutina, ParacatuPatos de Minas, Presidente Olegário, Rio Paranaíba, Santa Rosa da Serra, São Gonçalo do Abaeté, São Gotardo, Serra do Salitre, Tiros, Varjão de Minas e Vazante.

  • Lembrando: Fora do Minas Consciente – Apesar das classificações no programa estadual, Uberlândia Uberaba saíram do Minas Consciente, portanto, continuam seguindo os planos próprios de retomada econômica e a decisão do Comitê Estadual não afeta a situação delas.

Microrregiões

Em relação às microrregiões, veja abaixo a classificação das principais localizadas no Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste, de acordo com a atualização que entrou em vigor no dia 18 de dezembro.

*É importante lembrar que as prefeituras podem escolher qual fase seguir quando há diferença entre as classificações das micro e macros, desde que uma delas não seja a Roxa, que é impositiva e mais restritiva.

Minas Consciente

Segundo o governo de Minas, o plano “Minas Consciente – Retomando a economia do jeito certo” orienta a retomada segura das atividades econômicas nos municípios do estado. A proposta sugere a retomada gradual de comércio, serviços e outros setores, tendo em vista protocolos sanitários, que garantam a segurança da população.

O plano agrega dados econômicos, mas, principalmente, dados de saúde pública para orientar uma tomada de decisão responsável, segura e consciente.

Divisão por ondas

  • Onda Vermelha – serviços essenciais;
  • Onda Amarela – serviços não essenciais;
  • Onda Verde – serviços não essenciais com alto índice de contágio;
  • Onda Roxa – fase mais restritiva, que é imposta a todas as cidades que forem classificadas nela, ou seja, mesmo que o município não tenha aderido ao Minas Consciente, ele deve seguir as determinações estaduais enquanto estiver inserido nessa fase. Nesta fase, só podem funcionar atividades essenciais das 5h às 20h.

Avanço ou regresso das ondas

O avanço de uma onda para outra ocorre quando a região sai de uma etapa considerada com restrição para outra menos restritiva. O regresso para outra ocorre quando a localidade sai de uma situação com mais liberações para outra com mais restrições.

Macros e microrregiões

As prefeituras podem escolher qual fase seguir quando há diferença entre as classificações das micro e macros, desde que uma delas não seja a Roxa, que é impositiva e mais restritiva.

G1

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn