Mais de 220 eleitores Vazantinos tiveram o título cancelado

A Justiça Eleitoral fechou, na sexta-feira (24), a relação do quantitativo de pessoas (por região, unidade da Federação e município) que tiveram o título de eleitor cancelado por ausência aos três últimos pleitos. Cada turno é contabilizado como uma eleição, bem como pleitos suplementares realizados.

No total, foram cancelados 2.486.495 títulos. A região sudeste foi a com maior número de cancelamentos com 1.247.066 títulos.

Em Minas Gerais, de acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de MG (TRE-MG), 22.761 eleitores tiveram o documento cancelado.

Confira abaixo os dados correspondentes as cidades Guarda-Mor, Lagamar, Lagoa Grande e Vazante.

A lista completa e a consulta por NOME : (http://www.tre-mg.jus.br/eleitor/situacao-eleitoral/situacao-eleitoral) podem ser acessadas por meio do portal (http://www.tre-mg.jus.br/imprensa/noticias-tre-mg/2019/Maio/mais-de-226-mil-eleitores-mineiros-tiveram-o-titulo-cancelado?fbclid=IwAR2SZu8NbiYWTvZxLt-ERlFqjrwK0PPxhQwA08vPfjgrGR2ypa2IpBrC0J8) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Consequências

Quem teve o título cancelado deverá pagar uma multa e, em seguida, poderá fazer a regularização da sua situação no seu cartório eleitoral, levando documento de identificação oficial original com foto, comprovante de residência e o título, se ainda o possuir. A guia para pagamento da multa pode ser emitida no site do TRE.

A regularização do título eleitoral cancelado somente será possível se não houver nenhuma circunstância que impeça a quitação eleitoral, como omissão de prestação de contas de campanha e perda ou suspensão de direitos políticos, por exemplo.

O eleitor que teve o documento cancelado poderá ser impedido de obter passaporte ou carteira de identidade, receber salários de função ou emprego público e contrair empréstimos em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo.

A irregularidade também pode gerar dificuldades para inscrição, investidura e nomeação em concurso público; renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo; e obtenção de certidão de quitação eleitoral ou qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado, entre outras.

Anderson Franque/Rádio Montanheza

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Senado aprova MP da Liberdade Econômica

Proposta enviada pela Câmara permitia trabalho aos domingos e feriados com regras diferentes da CLT. O Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira (21), a medida provisória

Fechar Menu