Justiça revoga prisão preventiva de acusado de cometer duplo homicídio em Presidente Olegário

O jovem Murilo Amaral Rodrigues, 24 anos, teve sua prisão preventiva revogada na última terça-feira (24/08) pela Justiça da Comarca de Presidente Olegário. Ele é réu em um processo por duplo homicídio cometido no dia 11 de janeiro de 2020, no bairro Aeroporto, em Presidente Olegário.

De acordo com o delegado Vinicius Volf Vaz, Murilo na época foi autuado em flagrante por envolvimento no crime, tendo confessado a autoria do duplo homicídio, relatando que agiu sozinho. Ficou constatado ainda que o alvo era o adolescente João Gabriel Araújo Dias, 16 anos e que Marcelo Ferreira Fernandes, 36 anos foi vítima de bala perdida.

A defesa de Murilo ingressou com pedido para revogar a prisão, sendo aceita pela Justiça e, o jovem foi colocado em liberdade. O Ministério Público (MP) pode recorrer da decisão da Justiça. O MP ainda não se pronunciou se irá recorrer a decisão da Justiça.

O Crime


O duplo homicídio ocorreu no dia 11 de janeiro de 2020, por volta das 15h20, nas Ruas Tiradentes e Vereador Antônio Ferreira, no Bairro Aeroporto. Os criminosos teriam inicialmente atirado nas costas da primeira vítima identificada como Marcelo Ferreira Fernandes, 36 anos, que chegou a ser socorrido por uma viatura da PM até o Pronto Socorro Municipal, mas acabou falecendo.

Em seguida, os assassinos perseguiram um adolescente de 16 anos, que tentou fugir na garupa de uma motocicleta, mas foi alcançado e executado com dois disparos, sendo atingido no braço esquerdo e nas costas. O garoto João Gabriel de Araújo Dias morreu no meio da rua. Após o crime chocante, o atirador ou atiradores fugiram.

A Perícia Técnica esteve no local do crime e, localizou na cintura do adolescente João Gabriel, uma arma calibre .22 com munições intactas. A Polícia Militar faz rastreamentos para tentar identificar e prender os homicidas. Um suspeito foi encaminhado para o 5º Pelotão, mas ainda não se sabe se ele teve participação nos crimes.

Os corpos das duas vitimas, foram encaminhados para o IML de Patos e Minas, para constatar a causa das mortes e, posteriormente liberado para os familiares. O crime brutal chocou a população da cidade de pouco mais de 20 mil habitantes.

PO Notícias

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Fechar Menu