Gigantes varejistas tentam driblar dependência dos Correios

Com os Correios em greve, o e-commerce brasileiro enfrenta dificuldades na distribuição dos produtos.

Os mais de 100 mil funcionários dos Correios decidiram entrar em greve em todo o Brasil a partir das 22h desta segunda-feira (17).

A greve deve afetar severamente as entregas no comércio eletrônico, já que a estatal é uma das maiores operadoras logísticas para as compras virtuais. 

As gigantes do varejo, no entanto, desenvolveram nos últimos anos sua própria estrutura logística, com integração com suas lojas físicas, dezenas de centros de distribuição em vários estados e até suas próprias startups e transportadoras. 

Magazine Luiza, por exemplo, vem reforçando sua estratégia de envios de produtos a partir das lojas. Com essa modalidade, cerca de 35% das entregas totais passaram a ser realizadas em até 24 horas, sem depender dos Correios.

Já a Via Varejo chegou a R$ 5,1 bilhões em vendas totais no comércio eletrônico. No 2º trimestre de 2020, as vendas online foram responsáveis por 70% do faturamento total. 

Para realizar essas entregas, a empresa passou de 60 para mais de 380 mini centros de logística, que reduzem o tempo de entrega e cortaram mais de 50% no custo do último braço da logística. 

O plano é chegar a mais de 500 até o próximo trimestre, com presença em todas as cidades em que a Via Varejo tem presença física, destaca a revista Exame.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Fechar Menu