Ex-prefeito de Unaí é condenado a 64 anos de prisão por chacina

Antério Mânica obteve um habeas corpus e não cumprirá a pena preso pela Chacina de Unaí – Foto: Reprodução/Youtube

Sete jurados decidiram pela condenação

Antério Mânica, ex-prefeito de Unaí, foi condenado na noite desta última sexta-feira (27) a 64 anos de prisão como mandante da Chacina de Unaí, ocorrida em 2004 no noroeste de Minas. No entanto, o empresário não cumprirá a pena preso, já que obteve um habeas corpus para recorrer em liberdade. 

Após quatro dias de sessão na Justiça Federal, em Belo Horizonte, os sete jurados decidiram pela condenação do empresário. Durante a semana, foram ouvidas 19 testemunhas, sendo cinco de defesa e 12 de acusação. 

Os auditores fiscais do Ministério do Trabalho Nélson José da Silva, João Batista Soares Lage e Eratóstenes de Almeida Gonçalves, e o motorista Aílton Pereira de Oliveira foram assassinados, em uma emboscada na zona rural de Unaí. 

Eles investigavam denúncias de trabalho escravo na região onde os irmãos Mânica possuem propriedades rurais. Antério e Norberto Mânica chegaram a ser condenados a 100 anos de prisão, em 2015, no Tribunal do Júri da Justiça Federal, mas em 2018 o Tribunal Regional Federal anulou a condenação de Antério, por 2 votos a 1, e determinou novo julgamento. 

Norberto assumiu que encomendou as mortes dos trabalhadores que fiscalizavam as fazendas dos empresários. A defesa sustenta que Norberto é o único mandante, enquanto o Ministério Público Federal (MPF) acusa Antério também como responsável pelos quatro homicídios. 

Fonte: Site Itatiaia

Leia íntegra

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn