Entra em vigor aumento na conta de luz da Cemig; e vem mais por aí

A conta de luz fica mais cara em Minas Gerais a partir desta terça-feira (28), quando entra em vigor o reajuste de 6,93% para os consumidores residenciais autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A reguladora também aumentou o valor das bandeiras tarifárias, o que também vai incidir sobre as contas dos usuários da Cemig, que apresentou lucro de R$ 797 milhões nos primeiros três meses de 2019.

O reajuste médio autorizado pela Aneel para a Cemig Distribuição foi de 8,73%, sendo que para os consumidores de baixa tensão, que são os residenciais, o percentual foi de 6,93%. Já para as indústrias, que usam alta tensão, o valor do reajuste autorizado é de 10,71%.

De acordo com a Aneel, a bandeira tarifária contribuiu para reduzir em 4,96% o índice final do reajuste da Cemig, que fornece energia para 8,4 milhão de unidades consumidoras em 774 municípios mineiros.

Quando foi anunciado o reajuste, a companhia informou que o que mais influenciou o aumento foi a escassez de chuvas no ano passado. Com isso, as usinas termelétricas, que são mais caras, tiveram de ser acionadas durante quase todo o segundo semestre. Já a Aneel alegou que a aquisição de energia da Usina de Itaipu tem preços em dólar.

Bandeiras tarifárias

A agência reguladora de energia também aprovou resolução com os novos valores das bandeiras tarifárias para 2019, que entram em vigor em 1º de junho. Segundo a Aneel, a bandeira amarela passa a ser de R$ 1,50 a cada 100 kWh. A bandeira vermelha no patamar 1 custará R$ 4,00 a cada 100 kWh, e no patamar 2, R$ 6,00 a cada 100 kWh.

De acordo com a Aneel, o reajuste foi motivado “principalmente pelo déficit hídrico do ano passado, que reposicionou a escala de valores das bandeiras”.

:Uai


Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Senado aprova MP da Liberdade Econômica

Proposta enviada pela Câmara permitia trabalho aos domingos e feriados com regras diferentes da CLT. O Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira (21), a medida provisória

Fechar Menu