Enquanto interventor não assume, Hospital São Lucas acumula mais uma ocorrência policial

O Hospital São Lucas voltou a se tornar caso de polícia na manhã desta segunda-feira (13). O médico Sérgio Piau, que é o proprietário da estrutura, acusou um funcionário de Ruy Muniz, que havia arrendado o hospital, de fazer a retirada de equipamentos. Na quinta-feira (09), quando a Justiça decidiu nomear um interventor, dois caminhões foram flagrados no Pátio do Hospital e a Polícia Militar foi acionada para evitar a retirada de equipamentos.

Diante das inúmeras denúncias e desacordos entre o médico Sérgio Piau (proprietário) e o médico Ruy Muniz (arrendatário), a Justiça decidiu nomear o Grupo Pró Saúde para administrar o Hospital São Lucas. A decisão foi publicada na última quinta-feira (09), mas os novos gestores ainda não assumiram a unidade hospitalar. Os representantes do Ruy Muniz continuam no Hospital e sendo acusados por Sérgio Piau de retirar equipamentos.

Segundo o médico, nesta manhã, flagrou um funcionário de Ruy Muniz retirando monitores da UTI Neonatal. Sérgio disse que tentou impedir o funcionário de levar o equipamento. Os ânimos se exaltaram. O funcionário disse que foi agredido com um soco na boca. Sérgio negou a agressão e disse que apenas pegou uma pá para se defender, uma vez que o funcionário se armou com um facão.

A Polícia Militar foi acionada e o caso foi parar na Delegacia. O médico Sérgio Piau disse que a retirada de equipamentos do Hospital pode comprometer o atendimento aos pacientes. Ele acusou os funcionários de Ruy Muniz de terem retirado vários monitores e outros equipamentos da unidade. Os funcionários negam. Eles informaram que apenas retiraram uma autoclave na quinta-feira, tendo em vista que o equipamento havia sido trazido de outra unidade, mas por causa da energia nunca chegou a ser utilizado.  Com relação aos monitores da UTI, o funcionário informou que os equipamentos foram retirados apenas para que fosse feita a manutenção.

O Hospital São Lucas tem sido motivo de grande preocupação em Patos de Minas. Embora seja propriedade particular, ele é o único na cidade a atender pacientes carentes através do Sistema Único de Saúde. Serviços essenciais, como hemodiálise e oncologia, são oferecidos gratuitamente. A nomeação do Grupo Pró Saúde para gerir a unidade é uma tentativa de solucionar de vez os problemas. Os gestores já estão em Patos de Minas e a expectativa é de que eles assumam a administração do Hospital São Lucas ainda nesta segunda-feira (13).

Maurício Rocha – Patos Hoje

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Fechar Menu