UFMG: Drogas sintéticas estavam sendo produzidas dentro do laboratório da própria faculdade

O laboratório da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) estava sendo usado por traficantes para a produção de drogas sintéticas. A conclusão é baseada em investigações da Polícia Civil de MG e foi divulgada nesta segunda-feira (3).

Cinco criminosos foram presos no mês passado, acusados de traficar drogas dentro da instituição. Um ex-estudante de engenharia química da universidade, que produziria as drogas sintéticas por encomenda.

Ecstasy, maconha, haxixe e substâncias de alto poder alucinógeno estão entre os materiais que eram comercializados nos corredores do campus.

Segundo o delegado Júlio Wilke, os traficantes se passavam por estudantes para ter trânsito livre na UFMG e não tinham dificuldade para circular com as drogas, principalmente dentro de diretórios acadêmicos (DAs) de cursos.

“Era um terreno fértil para o tráfico, uma área grande, com alta demanda, até de alunos e pessoas de fora. A faculdade não consegue inibir a prática. O campus era usado como boca de fumo”, afirmou.

Em nota, a UFMG informou que colabora com a polícia e avalia providências. Afirma, ainda, que “não pactua com práticas ilegais e que ferem a dignidade humana”.

Jornal Hoje em Dia

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Senado aprova MP da Liberdade Econômica

Proposta enviada pela Câmara permitia trabalho aos domingos e feriados com regras diferentes da CLT. O Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira (21), a medida provisória

Fechar Menu