UFMG: Drogas sintéticas estavam sendo produzidas dentro do laboratório da própria faculdade

O laboratório da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) estava sendo usado por traficantes para a produção de drogas sintéticas. A conclusão é baseada em investigações da Polícia Civil de MG e foi divulgada nesta segunda-feira (3).

Cinco criminosos foram presos no mês passado, acusados de traficar drogas dentro da instituição. Um ex-estudante de engenharia química da universidade, que produziria as drogas sintéticas por encomenda.

Ecstasy, maconha, haxixe e substâncias de alto poder alucinógeno estão entre os materiais que eram comercializados nos corredores do campus.

Segundo o delegado Júlio Wilke, os traficantes se passavam por estudantes para ter trânsito livre na UFMG e não tinham dificuldade para circular com as drogas, principalmente dentro de diretórios acadêmicos (DAs) de cursos.

“Era um terreno fértil para o tráfico, uma área grande, com alta demanda, até de alunos e pessoas de fora. A faculdade não consegue inibir a prática. O campus era usado como boca de fumo”, afirmou.

Em nota, a UFMG informou que colabora com a polícia e avalia providências. Afirma, ainda, que “não pactua com práticas ilegais e que ferem a dignidade humana”.

Jornal Hoje em Dia

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Fechar Menu