Coronavírus: governo de Minas detalha plano de reabertura parcial do comércio

Protocolo para liberação das atividades econômicas será entregue aos municípios na próxima semanas. Cidades terão autonomia para decidir se autorizam o funcionamento de estabelecimentos

governo de Minas detalhou, na noite desta quarta-feira (22), o programa ‘Minas Consciente’, que planeja reativar alguns setores da economia em meio à pandemia do novo coronavírus. O protocolo para liberação das atividades será entregue aos 853 municípios na próxima semana.

Os serviços que serão liberados foram divididos em quatro ondas: essenciais, baixo, médio e alto risco. A autorização para que os estabelecimentos funcionem dependerá de decreto municipal e poderá ser revogado pelo governo de Minas em caso de aumento no número de casos nas regiões. Em uma primeira lista divulgada pelo governo do estado, ‘bares e restaurantes’ apareciam entre os serviços essenciais. No entanto, a publicação foi apagada momentos depois, retornando em seguida sem a atividade. 
Continua depois da publicidadeOs protocolos gerais para os trabalhadores e empresas serão disponibilizados a partir da próxima semana. O governo também estabeleceu um marco de tomada de decisão a cada 14 dias, considerando as macrorregiões de saúde do estado.

Veja, detalhadamente, os serviços liberados

Onda 0 (serviços essenciais)


– Hipermercado;- Lojas de material de construção;- Auto peças;- Farmácias e drogarias;- Lojas de venda e manutenção de equipamentos elétricos e eletrônicos;- Padarias e confeitarias;- Revendas de gás;- Açougue;- Serviços de RH e terceirização;- Supermercados e afins;- Postos de gasolina.


Onda 1 (serviços de baixo risco)*


– Concessionárias, revendas e oficinas de veículos motorizados;- Joalherias e relojoarias;- Lojas de vestuário, acessórios, calçados e afins;- Lojas de artigos esportivos e afins;- Lojas de artigos para casa, tecidos e aviamentos;- Lojas de móveis e colchões;- Lojas de variedades; – Lojas de fogos de artifício;- Serviços de publicidade e afins;- Agências de turismo e afins.


Onda 2 (serviços de médio risco)*


– Hotéis e afins;- Comércio de animais vivos;- Comércio de plantas e flores;- Lojas de eletrodomésticos de áudio e vídeo;- Comércio de artigos de papelaria e afins;- Tabacarias;- Lojas de brinquedos;- Lojas de departamento e magazines;- Comércio para artigos de caça, pesca e camping;- Comércio de instrumentos musicais e acessórios, equipamentos de áudio e vídeo;- Comércio varejista de equipamentos para escritório.


Onda 3 (serviços de alto risco)*


– Comércio de souvenires, bijuterias e artesanatos;- Lojas de variedades;- Varejista de outros artigos usados;- Cabeleireiros e outras atividades de tratamento de beleza;- Comércio varejista de discos, CDs, DVDs e fitas;- Comércio varejista de livros;- Comércio varejista de doces, balas, bombons e semelhantes;- Bancas de jornais e revistas;- Varejo de equipamentos de telefonia e comunicação;- Lojas de artigos fotográficos e para filmagem;- Lojas duty free de aeroportos internacionais;


* Listagens sujeitas a finalização dos estudos técnicos

EM.br


Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Romeu Zema anuncia escala de pagamento

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, anunciou, nesta quarta-feira (28/10), a escala de pagamento dos servidores do Estado em novembro. A primeira parcela, com

Fechar Menu