Com 55 mortes em todo o período chuvoso, Minas busca ajuda para mais de 100 cidades

Números ampliados a cada balanço: em nova atualização, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) informou ontem que o número de mortes decorrentes das chuvas de quinta e sexta-feira, em Minas Gerais saltou para 44. Em todo o período chuvoso, iniciado em novembro, foram 55 óbitos. Outras 19 pessoas continuam desaparecidas, todas no interior do estado.

Na corrida para ajudar as cidades, decreto do governo estadual, que deverá ser publicado hoje, reconhecerá situação de emergência em 101 municípios. Nesta segunda-feira, a Defesa Civil do estado informou que Diamantina e Nova Era entraram na lista. Os decretos facilitam a transferência de recursos do governo federal para reparos e a entrega de doações – como colchões, cobertores, travesseiros e alimentos – recolhidas pelo Executivo estadual. Ontem, o governo federal garantiu que tem R$ 90 milhões para atender aos estados atingidos pelas enchentes.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, que veio a Minas, e o governador Romeu Zema (Novo) se reuniram com prefeitos para alinhar os repasses.

A maioria das mortes está concentrada na Grande BH: 13 em Belo Horizonte, seis em Betim, cinco em Ibirité e dois em Contagem. No interior, os óbitos estão listados em 10 municípios da Zona da Mata mineira: Alto Caparaó (três), Alto Jequitibá (três), Carangola, Divino, Luisburgo (duas), Manhuaçu, Pedra Bonita (duas), Santa Margarida, Tocantins e Simonésia (três).

Ainda de acordo com o balanço da Defesa Civil estadual, 17.241 pessoas estão fora de suas casas em Minas: 13.887 desalojadas (6.767 na Grande BH e 7.120 no interior) e 3.354 desabrigadas (850 na RMBH e 2.504 no interior). Além disso, 12 pessoas ficaram feridas no estado – seis na Grande BH e outros seis no interior.

UAI

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Fechar Menu