Câmara Municipal vai abrir CPI para investigar situação da Copasa em Patos de Minas

A Câmara Municipal de Patos de Minas vai abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito-CPI- para investigar a situação da Copasa na cidade. Uma denúncia foi apresentada aos vereadores e o presidente do Legislativo, Vereador Vicente de Paula Souza, sinalizou nessa quinta-feira (03) que vai recebê-la na próxima semana. O trabalho de investigação, no entanto, vai ficar para os novos vereadores.

A denúncia foi feita por Wilson José da Silva. No documento encaminhado à Câmara Municipal, o denunciante diz que a Copasa não vem cumprindo com o que está estabelecido no contrato de concessão. Segundo ele, o serviço de abastecimento de água é ineficiente, não há execução do tratamento de esgoto, a empresa gera poluição com os odores da ETE, não há prestação de serviços nos distritos e o valor da taxa é abusivo.

Ele pede que seja apurada a situação do licenciamento da Estação de Tratamento de Água e de Esgoto; a situação do Alvará municipal de funcionamento das estações de água e esgoto; sobre as condicionantes referentes aos resíduos gerados pela captação de água no Rio Paranaíba; apurar a destinação dos resíduos sólidos; e verificar o cronograma de execução físico-financeira da conclusão da captação e tratamento dos esgotos.

A denúncia requer ainda que sejam verificadas as autorizações e justificativas pela implantação das redes, emissários e elevatórias em áreas não edificáveis; a execução dos trabalhos da comissão do Poder Executivo para fiscalização do contrato; e a situação da destinação dos efluentes que ainda não foram interligados ao sistema de tratamento. Solicita também que a Copasa apresente justificativas sobre não implantação de técnicas destinadas a evitar poluição atmosféricas e hídricas. E pede, por último, para buscar junto ao Ministério Público Federal o processo sobre a poluição do Rio Paranaíba.

O vereador Vicente de Paula entende que a denúncia é relevante e deve recebe-la na próxima semana. No entanto, como o ano já está se encerrando, o trabalho para formar a comissão de vereadores responsáveis pela apuração deve acontecer em 2021. Os vereadores poderão ouvir testemunhas, pedir perícias e analisar documentos para, ao final, emitir um relatório final que será apreciado por todos os vereadores.

Patos Hoje

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn