300 policiais militares investigados por motins no Ceará

Secretário da Segurança do Ceará diz que mais de 300 militares estão sendo investigados por “motins”.

André Costa, secretário da Segurança Pública do Ceará, afirmou, nesta quinta-feira (20), que mais de 300 policiais militares estão sendo investigados por envolvimento nas paralisações de atividades ocorridas desde a terça-feira (18). 

A secretaria considera os atos como “motim” e “vandalismo”. Os militares envolvidos vão responder Inquérito Policial Militar (IPMs) e processos disciplinares.

Quatro batalhões da Polícia Militar — em Fortaleza e em Caucaia –, permaneceram fechados nesta quinta-feira (20).

Homens encapuzados invadiram os quartéis, levaram carros e esvaziaram os pneus como uma tentativa de impedir o trabalho da Polícia Militar (PM).

O secretário André Costa declarou:

“Em torno de 300 militares respondendo inquéritos e também a processos disciplinares na CGD [Controladoria Geral de Disciplina]. Eles podem ser condenados por crimes militares, uns aí que passam até de 20 anos de reclusão.”

E, segundo o portal G1, acrescentou:

Também, perante a CGD, estão respondendo processos militares, cuja a pena pode ser de demissão, de expulsão das corporações e, além disso, esses que estão respondendo processos militares.”

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Fechar Menu